TRIBUNAL: S01E01 – O fim de HIMYM

Publicada em 16:04 - 04/04/2014 por Zeca

Essa é a nova coluna do nosso blog, que colocará em julgamento séries ou acontecimentos de séries que dividiram opiniões. O texto, claro, está carregado de SPOILERS. Portanto, se não quiser saber de nada, não continue.

O juiz declara aberta a sessão do julgamento do episódio final de How I Met Your Mother. Encontram-se presentes o réu Last Forever e seu advogado de defesa, dr. Gugasms, que enfrentará o promotor de justiça e autor da ação, dr. Cesar Filho.

Com a palavra, dr. Cesar Filho.

“Senhores e senhoras do júri. Eu nunca achei que chegaria o dia em que eu iria publicamente criticar esta série, mas diante dessa situação indefensável, não há nenhuma outra escolha sensata a ser feita.

Finais de série não precisam de explicação. Finais de série não precisam de um motivo por trás deles, algo pra ser entendido. Tudo que esses aguardados episódios precisam é concluir a história que vêm sido contada até então. Servem para fechar todas as pontas soltas e dar respostas às perguntas que foram feitas durante os anos em que o programa ficou no ar. E mesmo que essas respostas não cheguem e algo fique pendente, o fim de uma série tem o dever de fazer sentido. Ter sentido, na verdade, é tudo que qualquer história precisa fazer, basicamente. Nesse caso, depois de nove anos e duzentos e oito episódios, não foi isso que aconteceu.

Se tem algo que How I Met Your Mother nos ensinou ao longo de suas temporadas é que nada acontece por acaso. Comprovei isso ao assistir episódios passados enquanto esperava pelo final, quando ouvi Ted do Futuro repetir diversas vezes que se determinado fato não tivesse acontecido, ele não teria conhecido a mãe de seus filhos (o que na maioria dos casos, é verdade). E em seus minutos finais, a série nos entregou exatamente o oposto disso. A partir do momento que o divórcio de Barney e Robin é revelado, o episódio esfrega na cara de seu espectador que nada do que aconteceu, principalmente o que aconteceu nas últimas três temporadas, tinha sentido. Inúmeras foram as vezes em que o roteiro nos mostrou que Ted e Robin não deveriam ficar juntos e que o par ideal da canadense era Barney Stinson. Este, por sua vez, passou por um desenvolvimento de personalidade gritante nessas últimas temporadas, culminando no que parecia ser impossível nos primeiros anos de exibição: o seu casamento. Casamento que foi explorado no decorrer de uma temporada inteira. Sim, senhores e senhoras do júri, os roteiristas nos fizeram assistir 22 episódios que contaram o que aconteceu em apenas um final de semana de um casamento que foi destruído em 10 minutos. Não só nesta temporada, o casamento de Barney e Robin vêm sido construído desde a revelação feita anos atrás de que ele seria o noivo e ela a noiva do casório em que Ted conheceria a personagem-título. Nos deixaram curiosos, ansiosos e testaram nossa paciência com essa súbita e estranha mudança de formato na temporada final, que acabou sendo uma grata surpresa. Em paralelo à torcida por esse casal que um dia foi improvável, havia também a torcida e a ansiedade para que o grande momento finalmente chegasse, principalmente depois que todos nós ficamos completamente apaixonados por Tracy, a adorável mãe. E então, chegamos ao fatídico episódio e o que ninguém esperava, aconteceu. Carter Bays e Craig Thomas, os criadores dessa série maravilhosa, nos deram um motivo para odiá-los eternamente. Em apenas um episódio, eles jogaram no lixo a evolução do caráter de Barney Stinson e seu casamento com Robin, mataram uma personagem que precisou de apenas algumas participações para ser amada por todos e, depois de nos convencer incessantemente de que o destino de Ted não era Robin, decidiram fazer com que os dois ficassem juntos no final, baseando-se numa cena gravada em meados de 2006. Caso os acontecimentos desse episódio fossem divididos em uma temporada inteira, ele seria aceitável. Caso essa série não tivesse durado tanto tempo, ele também seria aceitável. Caso os roteiristas não tivessem nos convencido inúmeras vezes de que esse não era o destino daqueles personagens, ele seria aceitável. Mas nada disso aconteceu. A série que How I Met Your Mother era em 2006 não é a mesma que ela foi em 2014. Os personagens evoluíram, a história evoluiu. Mesmo assim, seus criadores resolveram se manter à uma decisão que só funcionaria em outros tempos. Fomos enganados, senhoras e senhores. O último tapa ainda estava por vir. E veio na forma de series finale.”

E agora, com a palavra, a defesa.

“Senhoras e senhores do júri, “How I Met Your Mother” nunca foi sobre a Mother. Por 9 temporadas, mais de 200 episódios, a série girou em torno de Ted, Robin, Barney, Lily e Marshall. De todos os exatos 208 episódios, apenas um teve Tracy como protagonista. Em todos os outros, o foco se manteve nos cinco amigos e na busca de Ted pelo amor. Amor que ele encontrou na Robin, na Stella, na Victoria e em várias outras mulheres. Foi com Tracy, sim, que ele teve filhos e com quem viveu anos muitos felizes. Mas na vida, senhores, nem tudo acontece como a gente espera. Os criadores mostraram isso durante toda a série: Lily e Marshall se separando (e depois voltando, é claro), Ted sendo largado no altar, Robin e Barney se divorciando, a morte do pai do Marshall... Os roteiristas usaram o drama para que seus personagens evoluíssem e crescessem. Qualquer pessoa que já perdeu alguém, já se divorciou (ou teve pais divorciados) ou já passou por alguma situação do tipo na vida sabe como é bom finalmente deixar isso para trás e seguir em frente, e foi isso que ocorreu na season finale. Barney alcançou isso ao ter uma filha; e Ted e Robin, ao ficarem juntos no final. A história poderia ter tido o fim mais óbvio de todos, com Ted e Tracy, Robin e Barney juntos e Lily e Marshall sendo o casal perfeito que sempre foram, mas em vez disso eles escolheram um final realista, que poderia acontecer com qualquer um. Robin e Barney nunca teriam durado muito. Durante todo o relacionamento deles, houve dúvidas de ambas as partes e do público. Por mais que Barney tivesse mudado, ninguém muda tanto assim por outra pessoa sem se tornar infeliz, ainda mais pela Robin, cuja única coisa que tinha era o trabalho, uma vez que não podia ter filhos, e Barney só descobriu que era isso que ele queria quando engravidou alguém por acidente. O casal nunca teria dado certo no mundo real. Estamos na realidade, não num conto de fadas. Sobre a morte de Tracy, é claro que poderia ter sido evitada para nós termos um final fofinho, afinal quem não se apaixonou Cristin Milioti? Mas foi tomada uma decisão criativa desde o começo da série de que aquilo aconteceria. Como os filhos de Ted e Tracy falaram, já havia seis anos da morte da mãe, era hora de seguir com a vida. E, como sempre aconteceu na série, Ted só teria como seguir em frente se fosse pelo amor, que ele sentia por Robin, sua primeira grande paixão na série, a única que ele via como possível substituta de Tracy. Em suma, senhores e senhoras do júri, o único erro cometido pelos roteiristas foi escalar a amável Cristin Milioti no papel da mãe, o que tornou o final muito mais difícil de aceitar. Com o perdão da palavra, senhores, na vida, merdas acontecem, mas você deve sempre seguir em frente, seja lá qual for a sua motivação, que, para Ted, era o amor.”

Muito bem. Cabe agora ao júri decidir o destino do réu, discutindo na seção de comentários abaixo.

Da acusação de ser um series finale insatisfatório para How I Met Your Mother, vocês declaram o réu Last Forever culpado ou inocente?

Pensem bem e lembrem-se de dizer a verdade e apenas a verdade.


Outras postagens



Comente

Parceiros

Podcast

Facebook

InSUBs - Qualidade é InSUBstituível © 2007 - 2017 - Termos e condições de uso.