Séries que melhoraram com o passar do tempo

Publicada em 19:02 - 23/02/2014 por Elderfel

Sabe quando você está a fim de começar uma série nova e pede sugestões para uma maratona? Não é muito raro ler coisas do tipo: “Assiste série Z. A primeira temporada é chatona. Tenha paciência, que depois melhora bastante.” Com tanta queda de qualidade das séries que considerávamos boas, é animador saber que outras encontraram um rumo a seguir e hoje presenteiam sua persistente audiência com situações que ela jamais viu nas primeiras temporadas. Seja por troca de produtor ou por epifania, as séries abaixo entram nesse quesito, segundo muitos seriadores (em ordem aleatória):

 

FRINGE

 

A série que parecia um procedural guardava uma carta debaixo da manga que seria mais explorada no último episódio da 1ª temporada. Até lá, o seriador tinha que ver casos bizarros (e até interessantes) solucionados pela Divisão Fringe, mas que jamais chegariam aos pés do plot que se estenderia da 2ª temporada em diante: a viagem entre mundos paralelos. Até a protagonista, Olivia Dunham, odiada por muitos no começo da série, começou a receber simpatia do público quando conheceram seu lado B, “Bolívia” para os íntimos, pois viram que a aparentemente sem sal Anna Torv “sabia atuar”. O destaque de Fringe, no entanto, fica com o Walter Bishop e a atuação magnífica de John Noble. Lágrimas saem dos meus olhos quando me lembro DAQUELA cena entre ele e Peter nos momentos finais do series finale.

 

COUGAR TOWN

 

Tinha tudo para dar errado. Além de ser da ABC, o principal objetivo de Cougar Town era mostrar uma mulher de 40 anos, recém-divorciada, indo atrás de homens mais jovens. Foi o que aconteceu em toda a 1ª temporada de Cougar Town, e Courtney Cox estava destinada a sofrer, mais uma vez, da “Maldição Friends”. Mas houve uma mudança de rumo: Jules se apaixonou por um homem da idade dela. O ex-marido que a tinha traído, Bob Cobb, deixou de ser visto como um “vilão”. E lá pela metade da 2ª temporada, Cougar Town já estava mudada: não era mais uma série sobre uma mulher mais velha namorando homens mais jovens, mas sobre sete amigos... e vinho!!!! Por mais absurdo que pareça ser, é uma das melhores comédias no ar atualmente, apesar de pouco creditada por seus feitos. Da ABC passou para a TBS, e continua a ser exibida pela persistência de seus fãs (obrigado, fãs!!), dentre os quais estão Shonda Rhimes (produtora-executiva de Grey’s Anatomy) e Abed (de Community). Destaque para os pequenos crossovers entre Cougar Town e Community.

 

PARKS AND RECREATION

 

Até os produtores odiaram as primeiras temporadas de Parks and Recreation, que foi melhorar somente com a saída de Paul Schneider no fim da 2ª temporada. A série, então, trouxe Rob Lowe e Adam Scott, ganhando aquela lufada de ar fresco que até ali não havia aparecido. A entrada de Chris e Ben em um seriado onde já havia Leslie, Ron e April foi a grande salvação de Parks and Rec.

 

COMMUNITY

 

Community teve um começo péssimo. Ninguém queria saber de pessoas fracassadas em uma faculdade comunitária. Nem de um advogado falido indo atrás de uma loirinha bonitinha. Muito menos de um jovem indiano nerd – já tinha outros em outras comédias ruins. Community não teve rumo a 1ª temporada inteira até chegar no 1x23, Modern Warfare – uma guerra interna de paintball, com explosões de tinta por todo lado. Foi quando a série bateu o pé no chão e disse... “Vou usar mais e mais referências de coisas ligadas ao mundo pop e nerd. Vou ser tão nerd, que vou ter um episódio inteiro em versão 8-bit. Também vou fazer episódios sobre guerras com referências a Game of Thrones e outras grandes séries, apesar de a minha favorita ser Cougar Town. Vou criticar certos seriados que não merecem vencer certos prêmios. Vou fazer um episódio de Natal em stop motion. Vou ser uma série melhor e mais nerd que aquela outra da CBS que de nerd não tem nada. E vou ter 6 temporadas e um filme.” Community é uma das séries que mais sofrem de ameaça de cancelamento, mas permanece em pé pela insistência dos fãs. Obrigado, fãs (apesar da 4ª temporada...)!!!

 

DOCTOR WHO

 

Doctor Who é um grande pilar da cultura britânica. A série começou a ser exibida em 1963 e foi cancelada em 1989. Em 1996, a FOX americana tentou ressuscitá-la com um projeto de piloto que acabou virando filme e não fazendo sucesso. Só em 2005, com Russell T. Davies na produção, que o seriado voltou ao ar pela BBC com a 9ª versão do Doctor (Christopher Eccleston, meu amor) – e agora, em 2014, vamos acompanhar sua recém-regenerada 12ª versão (Peter Capaldi). Para se ver Doctor Who não é preciso começar da 1ª temporada produzida em 1963, não se assuste! Basta começar pela segunda fase, a que começa em 2005, que tudo fica bem. Se quiser, você pode ver TODA a série em algum momento no futuro. Mas por questões práticas, iniciar por 2005 já está bom demais para um novo Whovian (fã de Doctor Who). O que me incomodou quando comecei a ver foi a quantidade de reclamações quanto à qualidade dos efeitos especiais. Falando sério: tinha um estilo TV Cultura, o que não me incomodava, mas DW não era uma série hollywoodiana, então por que as reclamações??? Não posso desmentir que Doctor Who deu um grande salto de lá para cá, principalmente no que tanto reclamavam: os efeitos especiais. Nota-se também uma mudança das histórias: quando Steven Moffat assumiu a produção, DW passou a ter tramas mais complexas, porém não tão amarradas quanto as de Russell T. Davies, o que é motivo para uma das brigas (tolas) entre os fãs: quem é melhor – Davies ou Moffatt? De toda forma, a segunda fase de Doctor Who entra nessa lista por ser uma das séries em que alguns não gostam da 1ª temporada (eu adorei), mas continuam por notarem uma melhora com o passar do tempo. Há, no entanto, uma outra forma de começar DW: a partir de 2010, com o 11º Doctor (Matt Smith, 2010-2013), já que não é exigido um grande conhecimento do que aconteceu nas temporadas passadas. Mas qual seria graça em perder as fantásticas versões do 9º Doctor (Eccleston, 2005) e do 10º Doctor (David Tennant, 2005-2010)? Até agora, a segunda versão de DW tem sete temporadas produzidas.

 

Esses são só alguns exemplos de séries que melhoram depois de temporadas iniciais criticáveis. Quais outras você poria na lista?


Outras postagens



Comente

Parceiros

Podcast

Facebook

InSUBs - Qualidade é InSUBstituível © 2007 - 2017 - Termos e condições de uso.