Frankie nº 5 - Glee

Publicada em 18:11 - 27/11/2014 por Billy

Oi, meu nome é milenaroc, e eu tenho um guilty pleasure (Todos respondem: “oi, milenaroc!”). Como já explicado em alguns de nossos InSUBsCast, que vocês podem ouvir no nosso site, guilty pleasure é aquela coisa que você adora, mas tem uma “vergoinha” de contar para os outros. E o meu é ver Glee! Glee é uma série criada por Ryan Murphy, que resolveu sair do mundo das plásticas de Nip/Tuck (brilhantemente traduzida por Sílvio Santos para “Estética”, quando exibida no SBT) para falar de um grupo de estudantes nada populares do ensino médio que entram para um grupo de coral. E porque Glee é meu guilty pleasure: sou uma senhora de 28 anos! Quando me indicaram assistir, falei: “E eu lá tenho idade para ver uma versão de High School Musical nessa altura da minha vida?”. Mas topei o desafio, acabei assistindo 15 episódios em dois dias, e amei! Tirando algumas poucas músicas originais, Glee traz versões bem bacanas de músicas já famosas. Por causa da série, acabei me encantando por bandas que não conhecia muito bem, como Journey e Fleetwood Mac, e a trilha sonora do meu carro é bem mais diversificada, indo de uma versão lenta de Wake Me Up, do Avicii, a The Rose, da Bette Midler, cantadas pelo elenco de Glee. O problema é que Glee perdeu o rumo. Como eventualmente o elenco precisava se formar e sair da escola, novos alunos entraram na William McKinley High School e não colaram muito. Ryan Murphy inclusive fez duas temporadas de The Glee Project para escolher novos atores para Glee, mas parece que não foi muito com a cara de ninguém, cansou da série, e resolveu se dedicar mesmo a American Horror Story. Foi um exercício de persistência assistir a 5ª temporada, tirando o episódio dedicado a um dos protagonistas que faleceu, Cory Monteith, e pelo episódio sobre Billy Joel (que eu conheci por meio de outra série musical maravilhosa: Smash!). Glee volta em janeiro de 2015 para sua sexta e última temporada. Você que nunca viu a série me pergunta: vale a pena? Vale, mas só as duas primeiras temporadas. Se você não tiver o mesmo TOC que eu de ver uma série do primeiro episódio ao último, se empolgue com a luta dos personagens contra o bullying na primeira temporada, veja os ótimos episódios em homenagem a Madonna e Britney Spears na segunda, e fique por aí mesmo. Se você já acompanha Glee, e quer saber se vale encarar a última temporada apesar de tudo: vale também. Quem já se arrastou vendo três temporadas sofríveis, merece ver um final digno e feliz para seus queridos personagens. E como já nos prometeu o produtor de enredo da série, Brad Falchuk : “É Glee. Fique feliz. Vai ficar tudo bem”.

Milenaroc

Revisores InSUBs


Outras postagens



Comente

Parceiros

Podcast

Facebook

InSUBs - Qualidade é InSUBstituível © 2007 - 2017 - Termos e condições de uso.